16.12.11

Afogado

Pensei um dia em tapar meu ouvidos
pra não ouvir tua onda quebrar.
sentir queimar a pele
com o mesmo sal
que tempera
esses olhos,
esses olhos teus.

Achei impossível de meus braços
te alcançarem, pérola.
Você, assim, estrela
no céu, no mar,
outrora
no último andar.

Tentei ficar de costas pro mar,
pra não deseja-lo tanto
quanto eu desejo
me afogar
em ti.

Mas de nada adiantou
fugir de quem
eu sou
e de tanto (te) observar
a onda me
levou.

2 Falaram mais sobre isso:

pâற Gαяdєи disse...

Mar,
nada melhor para amar
desabando inconscientemente
no seu balanço de amor.

Laís Vargas disse...

Lindo! Sempre que comento uma poesia procuro não escrever nada além de algo como "lindo", porque uma poesia de verdade é pra provocar sentimento ao ser lida... Ela tira as palavras, não as traz. E o mar... ahh, o mar, sempre mostrando que algo pode ser maior do que a confluência que toma conta da gente!